4

* *

Faz hoje 4 anos que renasci. Faz hoje 4 anos que nasceste. Não há coincidência. Nasceste tão grande como a missão que trazias e assim que te puseram no meu peito foi isso mesmo que vi, a tua grandeza.

Não sei se te sei explicar mas trouxeste contigo o que me faltava. Devias ter trazido o caos e a confusão à nossa casa mas fizeste o oposto. És a cola que nos une. Por isso te digo, é grande essa tua tarefa.

E contigo sou uma outra mãe, nisso tens mais sorte que as tuas irmãs. Embora sejas sempre original na forma como vives as tuas etapas e superas os teus desafios, és a terceira, o que faz com que já saibamos dar valor ao que tem valor, e deixar ir o que sabemos que é passageiro.

És divertida! Quem havia de dizer que aos 4 já sabes usar o humor, fazer piadas e brincar com as situações! Tenho para mim que farás tanto ou melhor uso do sarcasmo que a tua mãezinha… Mas a verdade é que não tens a quem sair sisuda.

Amuas com facilidade e és a única que é capaz de me virar as costas numa birra, enfiar a cabeça numa almofada e ignorar que eu estou ali. Às vezes fazes mesmo de conta que não me vês nem me ouves e nem me respondes. O que mostra bem esse teu temperamento de leoa. É claro que me zango.

Quando as coisas te correm bem és um doce de criança. Meiga como só tu sabes ser. Tens um abraço forte e um beijo doce e eu não prescindo de nenhum.

Gostas das tuas irmãs e, como seria de esperar, não gostas de estar longe delas. Quando calha estarem separadas pareces uma flor a definhar lentamente. Dói só de ver.
E zangas-te com elas, não aceitas que te obriguem a fazer o que não queres e, quando chegam a extremos não tens qualquer medo de levantar a mão e resolver a disputa. Contigo não fazem farinha, o que é bom!

Cantas e danças como se não estivesse ninguém a ver e este ano começaste a ter aulas de ballet. Surpreendentemente (para mim) o ballet é natural em ti e não há quem não repare no jeito como dobras as pontas do pé ou a forma como manténs as costas bem direitas enquanto caminhas em bicos de pés. E claro, ficas adorável de cor de rosa.

Continuas a ser o maior pesadelo das nossas gatas mas não porque sejas má para elas. É precisamente ao contrário! O teu amor sufoca-as, literalmente!

Comes um pouco de tudo e és gulosa que baste. Aqui nunca tivemos grandes preocupações.

Acompanhas bem as brincadeiras das tuas irmãs, quer seja a escola da Mafalda que já te ensinou tanta coisa, ou as infinitas cidades, vilas e histórias da Teresa e dos seus legos e Playmobil.

Vês pouca televisão, e tirando a Patrulha Pata, pouco coisa te prende lá. Mas por outro lado se o youtube foi inventado para alguém, esse alguém és tu. Canções infantis, pessoas a fazer plasticinas, videos de pessoas a abrir ovos de surpresas e outras coisas igualmente improváveis, são a tua perdição. Melhor que pipocas!

Também gostas da bicicleta e montas o circo com os teus patins, porque te deixas cair de propósito e isso te faz rir, mas só porque a tua queda está bem segura nas nossas mãos. Se caísses a sério já não achavas tanta graça!

És uma criança feliz e cheia de vida e é assim mesmo que deve ser.

Este é para mim (e para ti) um ano de viragem porque estes são os últimos meses que te vou ter assim pequenina… A caminho dos 5 vais deixando para trás esta Sofia para deixares vir uma outra Sofia, e mesmo com toda a saudade que já tenho quero que saibas que estou aqui, de braços e coração aberto para te aprender, conhecer e amar até depois do meu corpo morrer.

Parabéns Pessoa Pequenina.

3

Sofia

Chegaste aos 3 sem que tenhamos bem percebido como.

Gostava que tivesse demorado um pouco mais, mas contigo é tudo assim, num piscar de um olho e, em menos de nada, sais do meu colo, bates as asas e voas, como se nada fosse mais natural que isto.

E eu fico feliz de te ver assim crescida, independente e segura, sem hesitações e muito poucos medos. Embora me doa um bocadinho olhar para ti e já não te ver bebé.

Estás grande. Digo não só de entendimento, mas também de tamanho. És robusta e maciça e muito boa de apertar entre abraços que ficam gravados cá dentro.

És natural. Sei que natural não é lá um grande adjetivo, mas contigo as coisas sempre saíram naturais. Com o correr da maré, sem grandes percalços nem soluços. Como se o que nos liga fosse de sempre e não só desta vida.

Isto da maternidade tem destes mistérios, vocês são 3 e não posso dizer que vos ame da mesma maneira. É verdade que é um amor igual em tamanho, em intensidade, em respeito, em admiração, em dedicação, em sacrifício e em entrega. Mas cada uma de vocês toca num lugar diferente de mim. E tu tocas neste da eternidade e do reconhecimento ancestral.

É talvez por isso que me és natural. E seres a terceira ajuda muito porque à terceira sou uma mãe muito mais fixe do que fui à primeira e à segunda. Já conheço a cartilha quase de cor e já não dou valor a coisas que sei que são passageiras.

O que não significa que não me zangue ocasionalmente. És natural mas tens o teu feitio. Sabes bem o que queres, és segura e determinada e sabes bem expressar a tua vontade. Detestas ser contrariada, mas deixa lá, não ligues ao que te dizem porque na verdade ninguém gosta de o ser.

És meiga como só tu sabes ser, ris muito e a tua gargalhada é doce, energica e contagiante mas os teus olhos riem muito mais que a tua boca.

Apertas-me com força e chamas-me fofeca, tal como te chamam na escola. Não consegues ficar chateada comigo, e se tiver de te ralhar amuas, mas vens logo depois com esse teu jeito de quem pede desculpa, abraças-me com força e eu digo-te que está tudo bem e que gosto muito de ti. Se fores dormir zangada comigo tens pesadelos e tenho de te acordar para fazermos as pazes.

Falas muito e bem e tenho a certeza que a música fará parte da tua vida, tal é o teu gosto pelos ritmos e pelos sons. Cantas que te desunhas e mesmo que nem sempre saibas a letra, conseguimos sempre, mas sempre, perceber o que estás a cantarolar.

Deixaste a fralda sem dificuldade e a chucha ficou também esquecida, num dia qualquer.

Gostas da escola mas gostas ainda mais de estar com os teus avós, ou em casa com as tuas coisas.

Este ano andas encantada com a Patrulha Pata, com as princesas da Disney e com a Drª Brinquedos. Não ligas nenhuma à princesa Sofia.

Brincas bem com as tuas irmãs, e sabes fazer valer a tua vontade. Se precisares de puxar uns cabelinhos ou dar umas dentadinhas também te sai com naturalidade e és conflituosa só na medida da idade que tens.

Gostas de animais e adoras as nossas gatas. Normalmente é aos teus pés que dormem, embora às vezes as estrafegues com tanta força que elas te arranham.

Gostas de mexer na terra e brincar ao ar livre. Gostas de praia e de água. Gostas de andar descalça. És destemida e feliz, o que faz de mim uma mãe feliz também.

Continuo ainda encantada com isto de fazeres anos no pico do verão. Eu habituada aos meus anos 3 dias antes do Natal e aos anos das tuas irmãs em Novembro, acho isto delicioso. Dias grandes e compridos, com bom tempo para ser passado com a família e os amigos, sem pressas e à vontade. O calor, o sol, os dias grandes…

Só tem o contra do forno ligado para fazer o bolo! Qualquer dia evoluímos para bolos de gelado! Este ano quiseste princesas. E só mesmo porque és a última, acedi. Algum dia havia de ter de fazer um bolo de princesas 🙂

Tiveste dois bolos hoje, só porque foi um dia comprido e estivemos ao almoço com os avós e as primas, e só ao jantar estivemos com o Pai e com a Mafalda. O do almoço foi de improviso, mas se há coisa que já aprendi é que prefiro mil vezes estar com vocês do que abdicar desse tempo para fazer um bolo, por mais perfeito que esteja. E como ainda não é tempo de férias para mim, escolhi estar contigo na praia em vez de ficar em casa a fazer um bolo perfeito.

E foi uma boa escolha. Já fiz bolos melhores e mais bonitos, mas cantámos na mesma os parabéns e o bolo também se comeu com satisfação!

Sofia2016_2

À noite o bolo estava mais composto. Ainda assim foi planeado para ser uma versão rápida de bolo. Mas estava muito bom.

Sofia2016_1

Ainda vais ter a tua festa. Com direito aos avós todos, aos tios e tias e aos primos todos ao monte. Fica a promessa de um bolo grande e bonito para ti, porque o mereces.

E já lá vão 3 anos de ti, 3 anos de nós. E não é que parece que é desde sempre?

Princesa Pirata

DSCN3087_1

Nem acredito que já passaram dois anos. Chegaste sem aviso e tomaste por completo as nossas vidas de assalto. E ainda bem que o fizeste porque fazes todo o sentido em nós.

És divertida e brincalhona, tens muito sentido de humor, gostas de ser o centro das atenções. Por outro lado és teimosa q.b. e sabes bem defender os teus interesses. Amuas. Amuas muito mas de uma forma deliciosa. Tens mau feitio, muito mau feitio, herança minha certamente, porque é um mau feitio delicioso!

És mimada, naturalmente. És a filha mais nova e diz que os filhos mais novos são os filhos cool. Diz também que os filhos mais novos são os mais felizes, estupidamente felizes. E talvez seja mesmo verdade porque tu és estupidamente feliz… Contigo, a nossa experiência de pais de 3ª leva diz-nos que, um prato de sopa a menos não mata, uma mão cheia de terra na boca cria defesas, a chucha e a a fralda naturalmente deixarão de fazer parte da tua vida, e que com todo o tempo hàs-de aprender a fazer tudo. Sem stress nem pressa. Somos muito melhores pais para ti do que para as tuas irmãs, se não melhores pelo menos mais calmos! E a diferença que isso faz!

Em ti tudo é tempo para rir, para achar graça aos disparates, para descontrair, para gozar. As tuas irmãs ensinaram-nos o suficiente para sabermos o que nos espera e até onde é que faz sentido ir, por isso aproveitamos-te ao máximo, quem sabe se não és mesmo a última?

Falas muito. Com palavras que entendemos e com palavras tuas. Ralhas comigo. És a única que se acha nesse direito tão pequenina. Às vezes tens razão, eu preciso ser ralhada para te atender quando queres a minha atenção. Outras vezes é só mau feitio.

Quando te chamo para fazeres alguma coisa que não queres dizes-me para ter calma ou para esperar. Pões a mão bem aberta à tua frente para dar mais ênfase.

Naturalmente detestas ver as tuas irmãs a chorar. Detestas mesmo quando eu lhes ralho. Já aconteceu eu estar a ralhar com uma delas por te terem magoado ou por te terem tirem tirado um brinquedo e tu, assim que ouves o meu tom de voz, tomas automaticamente o partido delas e abraça-las com força, mesmo enquanto eu ralho para te defender a ti.

Tens um abraço doce e do tamanho do mundo e um sorriso de ouro.

Gostas de estar com os teus primos. Gostas de brincar e de ter companhia. Gostas muito de animais, sejam eles quais forem. Diz que és parecida comigo mas menos morena. Não sei dizer… Para mim és tu, e só tu que vejo quando te olho e te aprendo. E não há palavras para descrever o quanto mudaste a minha vida e o tanto sentido que ela ganhou depois de ti.

Fizemos uma festa com um bolo, claro! Ainda fui eu a escolher mas sei que o privilégio não é para durar! Por seres tu tão princesa e tão pirata em simultâneo fiz-te um bolo inspirado em piratas e no verão, mas numa versão de princesa.

Apesar dos teus dois anos adoraste o bolo, e comeste-o com satisfação!

DSCN3098_1

Bolo Princesa Pirata

E tiveste direito a um tesouro escondido dentro do teu bolo de chocolate! Adoraste e os teus primos também!

DSCN3114_1

Por falar em primos, deixa-me dizer-te o quão afortunada és. Tu, as tuas irmãs e os teus primos. É uma dádiva para vocês serem tantos e tão próximos. Esta imagem ficará sempre comigo, só é pena faltar a Francisca.

DSCN3122_1

Família também é isto e entre todos vocês não chegam a existir 7 anos de diferença. Daqui a pouco nem se nota. Rezo muito para que a vida não vos afaste e para que possam sempre contar uns com os outros. A mim fez-me bem.

E com isto, este meu bebé que foste vais deixando aos pouco de ser. E se por um lado me orgulho de ti e das tuas conquistas por outro lado deixa-me aquele amargo na boca… Mas é isto a vida!

E o que eu quero mesmo é que a vida te abençoe e te dê tudo na medida do que precisas e, acima de tudo, que nunca te deixe faltar nada. Parabéns minha filha!

1 Ano de Sofia

DSC_0194_1

Fizeste um ano. Posso dizer-te que até hoje este foi o ano que mais depressa passou por mim. Com muita pena minha. Queria-te assim para sempre. Foste o bebé mais fácil que tive e foi por isso que não tive pressa para te ver chegar aqui.

És doce e meiga, comes lindamente, dormes ainda melhor. Não tens um feitio fácil e és traquinas demais para o aninho que tens, mas essa tua expressão e esse teu sorriso iluminam o meu dia. Aos poucos vais ganhando o teu espaço em nós e vais ganhando confiança na convivência com as tuas irmãs, especialmente com a Mafalda que insiste em pegar-te e agarrar-te, coisa que nem sempre gostas que te faça.

Tens instinto de engenheira: mexes em tudo, abres tudo com uma facilidade que é natural e olhas para as coisas de uma perspectiva pouco usual.

És em tudo diferente das tuas irmãs o que torna toda esta experiência uma experiência completamente nova para mim. E é bom que assim seja. A começar pela água! Fazes jus ao provérbio que diz que filho de peixe sabe nadar e estás tão naturalmente dentro de água como o estás fora.

DSC_0127_1

Tiveste o privilégio de já teres andado a saltar as ondas comigo, num dia de mar agitado e para ti foi normal.

DSC_0139_1

Tens também a sorte de teres nascido no verão e por isso os teus aniversários serão sempre com muitos banhos e muita diversão na água.

Não te fizemos uma festa grande (ainda) mas estiveste com os teus avós e só te faltou um primo para completar o naipe! Havemos ainda de juntar a família para celebrar este teu dia, afinal só fazes 1 ano uma vez e eu não sei se voltarei a ter o privilégio de celebrar mais algum primeiro aniversário de um filho. Parece-me razões de sobra para celebrar!

Manda a tradição que comas o teu bolo de aniversário por isso fiz-te um bolo despretensioso mas igualmente saboroso e tu gostaste muito.

DSCN2275_1

Também gostaste da liberdade que te demos para comeres o teu gelado e agarraste-o com as duas mãos não fosse ele fugir. É claro que não o comeste todo! Mas ficaste satisfeita!

DSC_0472_1

Tens 3 dentes nascidos há pouco tempo e tal como a Teresa os teus dentes vão nascer todos com uma ordem própria! Lá se vai o que está escrito nos livros! Dizes mamã e pouco mais mas sabes pedir comida e água e quando o teu pai de tenta ensinar a dizer sporting imitas e fazes um som que em muito se assemelha, e isso faz o teu pai sorrir!

Engana-te quem te disser que pessoa é coisa indivisível e podes ter a certeza que quanto mais me divido mais me multiplico e mais ganho de volta! Mas só quando fores mãe vais perceber o que agora te escrevo.

Foste a melhor prenda que eu podia ter recebido e eu desejo-te tudo o que uma mãe pode desejar a um filho e muito mais, e nas minhas orações peço sempre que tu e as tuas irmãs nunca me falhem e que a minha hora seja só quando já de mim não precisarem.

Parabéns por este ano, e venham os próximos!

9 meses de Sofia

DSCN2072_1

O tempo voa e já fizeste 9 meses. Das 3 és a única que não me faz ter pressa de ver esta fase passada. És um bebé delicioso e fácil. És bem disposta e de sorriso fácil, comes bem sem dramas nem fitas e dormes como um anjo. Engana-te quem te disser que o terceiro filho nada tem a ensinar. Tens sido uma lição de vida, das boas, daquelas que são doces de aprender.

Porque afinal a maternidade também pode ser quase indolor e quase fácil. Isto ensinaste-me tu. Um bebé pode só precisar de comida e mimo e fralda limpa para ser feliz, como tu. O que mais me espanta em ti é a forma como adormeces sozinha, sem de nós precisares. Baste que chegue a tua hora e a cama é toda tua, nada de colos nem embalos, só a tua cama.

Por teres sido sempre assim eu e o teu pai não tivemos de aderir ao Co-sleeping, que é uma forma bonita de te por a dormir no meio de nós. Tal como fizemos com as tuas irmãs que por lá ficaram até aos 2 anos. Mas às vezes tenho pena de não te ter mais perto de mim para te poder sentir durante mais tempo o calor e o cheiro.

És muito observadora e com duas irmãs mais velhas tens muito para estudar. Gostas de cantar e palrar e tem alturas que parece que estás dentro de uma ópera a cantar uma ária.

Gostas de mexer nas coisas e de as sentir. Intriga-te a areia e a relva que gostas bem de sentir nas tuas mãos.

Já chamas por nós e as tuas vocalizações vão ganhando novos significados a cada dia que passa.

Não tens um só dente. Tal como a tua irmã Teresa só os deves começar a ter depois de fazeres um ano e vamos a ver se também nascem de forma aleatória como os dela.

Tens umas bochechas deliciosas o que faz com que todos lá em casa tas encham de beijinhos. Gostas de cavalices, gostas que te ponham de pernas para o ar e te atirem ao ar. Adoras que dancem contigo ao colo e continuas a gostar de me ouvir cantar, vai se lá saber porquê.

Não gosto mais de ti do que de qualquer uma das tuas irmãs mas, à semelhança delas, tenho por ti um amor diferente e especial. É daquelas coisas que só quando fores mãe dos teus filhos vais entender. E tal como elas ocupas em lugar especial no meu coração.

Chegaste sem aviso e na pior altura de sempre, e por isso eu e o teu pai tivemos de preparar a nossa vida para te receber. E se não fosse por isso talvez nunca tivéssemos chegado onde estamos agora. E por tudo isto tenho de te agradecer.

Fazes todo o sentido na minha vida.

6 meses de Sofia

DSCN1756_1

E sem dar conta passaram 6 meses. És muito mais do que podia ter imaginado e todos os dias agradeço ter-te na minha vida. És especial. Tens um encanto que é só teu e por isso é único e diferente de tudo o que conheci antes de ti.

Tenho para mim que faz parte da tua estratégia de integração, e de certa forma, de te enquadrares e arranjares o teu espaço em nós. Das três és a que dá menos trabalho.

Estás sempre bem disposta, tens as tuas rotinas certas, gostas de adormecer na tua cama, sozinha, sem colos nem amassos, o que para mim é um grande descanso e acredita que facilita em tudo a gestão da rotina das tuas irmãs. Comes bem sem comeres demasiado e és grande, muito grande para os teus 6 meses, por isso não tenho de me preocupar quando tens menos apetite. Não és grande apreciadora de sopa. Preferes as papas e a fruta que comes sempre a dobrar. Ainda assim comes bem e não foi difícil adaptares-te a uma nova alimentação.

Gostas de cantar e quando ensaias um grito mais alto e ele sai desafinado assustas-te contigo própria, o que é giro de ver. Tiveste a tua primeira bronquiolite hà poucas semanas, pouco depois de ter voltado ao trabalho e ter de sair contigo de casa bem cedo, faça chuva ou faça sol, o que só agrava esta minha sensação de que é bárbaro este nosso costume. E foi só nessa altura que consentiste usar chucha. Até aí nunca a quiseste e mesmo agora nem sempre a queres.

Gostas de tomar banho e quando te viro de barriga para baixo e te lavo as costas cantas para mim. Gostas do secador de cabelo e do ar quente na cabeça.

O teu lugar preferido para adormecer ainda é a cozinha e nada te faz adormecer mais depressa e mais descansada do que os cheiros e os barulhos das louças e das máquinas a trabalhar. O que me deu muito jeito enquanto estive em casa contigo, e continua a dar aos fins de semana.

Dormes muito, com 6 meses ainda dormes entre cada refeição, coisa que nenhuma das tuas irmãs fez. Começas agora a saltar o sono depois do lanche da tarde, mas nem sempre o fazes. Gostas de brincar e ficas bem na espreguiçadeira entregue aos teus brinquedos, descobriste à pouco tempo o parque e quando estás deitada ris-te e mexes-te muito.

Há uma coisa em que és igual à Teresa: adoras que te preguem sustos e ris-te como uma perdida.

Já chamas por nós e quando queres a nossa atenção tosses uma tosse tão falsa que chama mesmo a atenção!

Interages com as tuas irmãs mas tens algum receio. O facto delas falarem alto e mexerem-se depressa demais não te ajuda a confiar muito nelas e tens toda a razão. Espera mais um tempo!

Os teus olhos continuam a ser um mistério para mim. Ao fim deste 6 meses ainda não percebi se os teus olhos são verdes ou se são castanhos! Conseguiste arranjar a cor de olhos mais invulgar e o teu cabelo promete ser claro. Sais ao meu pai nisso. Já as tuas bochechas são claramente minhas!

E passaram tão depressa estes teus 6 primeiros meses!

DSCN1760_1

3 meses de Sofia

DSCN1165_1

3 meses de ti e em mim a sensação de que toda a minha vida estiveste comigo. És um doce de bebé, comes bem sem seres sôfrega, raramente tens cólicas, cresces a bom crescer e dormes, dormes muito… 12 horas inteiras se te deixassem!

Ser tua mãe está a ser completamente diferente de ser mãe das tuas irmãs. Somos mais calmas as duas e talvez por isso mais cúmplices.

Começas agora a querer expressar-te e tentas responder quando contigo falamos. Ris-te. Ris-te muito e és ainda mais linda quando o fazes.

Tens duas irmãs que te adoram. Da mais velha tens um certo receio porque ela fala muito alto e se mexe com brusquidão e por isso choras sempre que ela te pega ao colo. Já com a mais nova é diferente, se a sentes calma também tu ficas calma mas se a ouves chorar depressa te juntas a ela. Quando ela te pega ficas a olhar para ela como se a estivesses a aprender. Para ela és uma princesa, sempre foste e creio que sempre serás.

E gostas de tomar banho. Os teus olhos brilham o tempo todo. Só choraste no primeiro banho que tomaste em casa e depois ganhaste-lhe o gosto. Vê-se na tua expressão descontraída que é para ti um prazer e por isso prolongo-o sempre que posso. É o nosso pequeno segredo.

Estás a crescer depressa demais e gostava de te poder segurar no colo mais tempo, mas ao mesmo tempo quero ver-te crescer, aprender-te mais e saber mais te ti.

E o tempo não pára. Já lá vão três meses de ti!

1 mês de Sofia

DSCN0981_1

E já passou um mês! Na mesma a sensação de que foi ontem, que sei que me irá acompanhar toda a vida. A Sofia é um doce de bebé, muito mais fácil do que qualquer uma das irmãs. Abençoada com um charme só dela que me desarma todos os dias.

Passa muito tempo a dormir, chora pouco e quando está acordada olha para mim como quem me aprende, àvida de me saber. Também sorri muito, coisa que só me lembro das irmãs fazerem mais tarde. Não será certamente um riso social mas apesar de ser reflexo cumpre a sua função. Cada vez que me sorri sinto-me ficar um pouco mais cheia de amor, se é que isso é possivel.

Estou longe de dominar as novas rotinas. Gerir 5 pessoas não é fácil e claro que o mais dificil é sempre gerir as minhas rotinas e as minhas necessidades no meio de todas as outras. A vantagem é que ao fim de 3 filhos já sei que com o tempo chegarei lá. Sem pressas.

Por agora vou-me mantendo o mais acordada que consigo, vou comendo nos intervalos da chuva, brinco, ralho, arrumo, preparo refeições e outras rotinas domésticas enquanto a mais nova dorme, e tento dormir nos pequenos espaços de tempo em que está tudo calmo.

Resisto ao cansaço pondo a cabeça em futuros projetos, nas coisas que quero fazer e isso tem-me mantido focada. Aprendi com a Mafalda a não fazer planos e não os faço. Sei que tenho de aproveitar cada janela de oportunidade e aos poucos vou conseguindo trabalhar num ou noutro projeto, o que me deixa serena para enfrentar o resto. Não é novidade que este é o meu escape e também não é novidade que a maternidade não é uma pera doce. Quando as cólicas apertam ou as birras das mais velhas atingem os limites, vou até ao meu espaço de costura, entro, respiro fundo, olho à minha volta, idealizo um qualquer projeto para este ou aquele tecido, esta ou aquela lã, e estou pronta para continuar a ser mãe. Consome menos tempo e menos dinheiro que um psiquiatra 🙂

A escola recomeça em breve e com ela o meu tempo fica um bocadinho maior. Esperas por mim aqui?

Sofia

Sofia

Sofia, o meu mais recente amor para a vida. A minha leoa, nasceu a 05 de Agosto ao final do dia, de um parto fácil e rápido que foi precedido pelo mais longo e mais doloroso trabalho de parto que tive até agora. Quando finalmente a vi achei-a grande e, aos meus olhos continua a parecer grande, embora no registo conste que nasceu com 50cm e 3300gr. Talvez seja a alma dela o que vejo, talvez Sofia seja sabedoria, como diz o povo.

É um bebé calmo, mais calmo que as irmãs. Eu sou também uma mãe mais calma até porque à terceira já sei que tudo se resolve com o tempo, e que inevitavelmente ela vai crescer, pelo que as inquietudes desta primeira idade são-me agora mais ligeiras do que foram com as irmãs.

Também por ser a terceira e saber que vai tudo passar depressa demais, fica cá dentro uma certa angústia de não poder parar o tempo aqui e agora, como tantas vezes antes desejei poder fazer, porque sei que este recém nascido que agora me cabe no colo em breve vai ganhar asas e voar. O que me deixa com uma vontade enorme de aproveitar esta minha terceira filha o mais que me for humanamente possivel.

Hoje sou uma pessoa mais rica.