Meat Free Monday – 2as Sem Carne

Neste primeiro artigo de 2017 escrevi sobre uma das minhas resoluções de ano novo: fazer uma alimentação mais saudável aderindo ao movimento segundas-feiras sem carne (Meat free Monday).
Já algum tempo que andava com vontade de introduzir refeições com menos proteína animal nas refeições da família, mas vamos ser honestos: é culturalmente um desafio fazer isto! Estamos tão agarrados à ideia de que precisamos de carne ou peixe na refeição que se torna quase impraticável seguir com isto em frente. Mas é um objectivo e achei que serviria um duplo propósito se partilhasse aqui no blog a evolução disto, assim espero manter-me motivada e espero que esta minha experiência sirva de base para ti também.
Há aqui algumas considerações que são necessárias fazer antes de iniciar:
O objectivo não é tornarmos-nos vegetarianos. O objectivo é reduzir a quantidade de carne e peixe que ingerimos e aumentar a quantidade de vegetais, cereais e leguminosas na nossa alimentação diária.
As refeições têm de ser “amigas” das crianças. As minhas filhas são crianças “normais” e odeiam a generalidade dos legumes, o meu marido também. Vai ser arriscado e desafiante conseguir uma refeição que agrade simultaneamente a quem não gosta de grão e feijão, a quem não gosta de cenoura, a quem não gosta de cogumelos, a quem não gosta de brócolos…Bem, estás a imaginar onde quero chegar!
Este plano tem de ser mantido em segredo porque se eles sonham não há quem coma nem uma colherada! Por isso vou começar por refeições “semelhantes” às que já fazemos mas sem carne e sem peixe, e aos poucos vou avançando um pouco mais… E se me perguntarem, eu direi que o peixe ou a carne está lá, bem picadinho, tão bem picadinho que nem se nota!
Não vamos para já excluir os lacticínios, nem os ovos.
Não vamos incluir substitutos como o tofu ou o seitan, a soja granulada ou em pedaços ou outras coisas afins. Porque a ideia é mesmo comer mais vegetais, cereais e leguminosas, mesmo que estejam escondidos e disfarçados.
Por último, as refeições têm de ser suficientemente fáceis e rápidas de fazer, para serem exequíveis de integrar as minhas ementas mensais.
Posto isto, a minha ideia é partilhar contigo a receita que usei e as eventuais alterações que fiz, e também a aprovação que teve junto dos meus comilões. Assim consigo manter um registo do que teve mais aceitação e consigo partilhar contigo o resultado!
Então o primeiro teste é este:

* *

A receita original é daqui e escolhi esta porque este é um tipo de pasta que costumo cozinhar, normalmente com fiambre, bacon, frango ou até salchichas. Pode ser que não deem pela falta da carne!
As alterações que fiz foram estas:
Não usei nenhum caldo de legumes para cozer as massas, usei apenas água.
Usei espargos de conserva porque não é altura dos frescos e adicionei-os já quase no fim da cozedura.
Não usei as malaguetas.
Usei “natas” de soja porque aqui há barrigas intolerantes às natas normais.
Refoguei a cebola com o alho e juntei as ervilhas e os cogumelos ao refogado.
Deixo-te a receita também porque alterei a quantidade dos ingredientes:

E como correu?
Correu bem. Eu gostei bastante, a raspa do limão torna-o fresco e de certa forma leve. 1 voto a favor!
A mais velha gostou bastante. 1 voto a favor!
A do meio notou o sabor do limão, fez-se um pouco esquisita na primeira impressão, depois disse que era bom, comeu sem fitas, mas não comeu mais do que o normal, nem com mais entusiasmo – 1 voto neutro.
A mais nova não estranhou o sabor, comeu como sempre come, foi como se fosse uma refeição normal – 1 voto a favor!
O marido comeu, reclamou que faltava carne, ou peixe, perguntou se podia juntar ao menos atum, comeu bem e repetiu. Não foi uma reação assim tão negativa por isso: 1 voto neutro!
Resumindo:

* *

Em termos práticos é fácil e rápida de fazer. Não é particularmente dispendiosa e se a classifiquei com duas estrelas é apenas porque usei cogumelos frescos e porque os espargos podem encarecer um pouco a receita, especialmente se forem frescos.
Não foi uma experiência a não repetir por isso leva três estrelas de pontuação final, o que a classifica para ingressar nas minhas ementas mensais.
Esta é até daquelas receitas que dá para tirar na cartola nos dias em que me esqueço de descongelar carne ou peixe… Calhando até me vou começar a esquecer mais vezes!
E tu? Estás disposta a tentar? Diz-me como correu!

Tagged , , , , . Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *