Manta de Apego em Crochet

Sabes que adoro crochet mas a verdade é que nem sempre gosto de coisas feitas em crochet. As mantas de apego são um bom exemplo disso, uma boa parte delas parecem saídas das mãos de uma tia avó e simplesmente não faz o meu estilo.

Até ao dia em que tropecei num esquema, que está simplificado aqui mas que não é a versão “original” e me apaixonei 🙂

O que esta tem de diferente é ser trabalhada em estrela e permitir um remate sóbrio, e um equilíbrio das cores que permite obter um visual tradicional mas ainda assim moderno.

* *

Se calhar é por isso que já fiz 3 diferentes, e parece-me que é coisa para fazer mais vezes.

* *

Também é um projecto versátil porque permite usar uma cabeça de um boneco amigurimi, é só escolher que animal se quer utilizar.

* *

Esta foi um presente de natal para uma bebé da família e apeteceu-me uma ovelha, porque todos os bebés têm de ter uma ovelha fofinha e meiga.

* *

 E ainda tem mais um ponto a favor que é o ser um projecto muito fácil e rápido de fazer, o que o torna uma prenda perfeita que se faz, à vontade, num fim de semana.

Apetece agarrar, não apetece?

Fada dos dentes

O primeiro filho é um privilegiado. Quando caiu o primeiro dente da Mafalda estava tudo pronto! A fada dos dentes, o cartão de registo, tudo!

A Teresa perdeu o primeiro dente em Agosto, no dia 7. Lembro-me porque foi no dia a seguir à festa de anos da Sofia e foi traumatizante! Ela chorou horrores. O dente esteve literalmente preso por um fio durante meses, tantos, que quando caiu nem deitou sangue. Simplesmente caiu.

Ela horrorizada com o dente na mão. Eu à espera de ver uma boca ensanguentada que justificasse tamanho susto. Nada.

Só mesmo o horror dela de ficar sem dente. E de certeza aquela sensação do principio do fim. Agora estás mesmo a crescer, disse-lhe eu. Já não podes ficar bebé. Estás a crescer mesmo a tempo de ires para a escola.

E ela chorava. E eu também mas por dentro. Porque ela está a crescer muito depressa e a sair dos meus braços com toda a confiança, porque não estava nada pronto, nem fada dos dentes, nem cartão, nem dinheiro nem nada.

E eu a chorar porque com a primeira tinha tudo pronto, fui a mãe perfeita, e com a segunda nada… Miserável mãe.

Vencida a angústia e aproveitando as férias lá arranjei alento para lhe fazer a fada.

* *

A ideia era fazer qualquer coisa ao estilo dos bonecos Waldorf e o corpo foi traçado a olho no papel, por isso ficou pouco proporcional, o que lhe dá toda a graça e personalidade.

* *

Esteve para ter uma farta cabeleira preta, mas como os bonecos têm vida e vontade própria, não gostou nada e obrigou-me a refazer tudo. Ruiva seria esta fada, com toda a convicção.

* *

Simpática como só ela! Todas as fadas dos dentes são simpáticas, segredou-me ao ouvido.

* *

E um vestido cheio de folhos e a condizer com o seu cabelo.

* *

E lá foram as duas, fazer coisas de fadas, enquanto esperam pelos próximos dentes 🙂

 * *

Mais sobre a primeira fada aqui.

E se quiseres um cartão para anotares os dentes de leite (nascidos ou caídos) está aqui.

Meat Free Monday #3

Mais uma semana em que conseguir cumprir o desafio. Esta semana com menos sucesso que nas anteriores, mas ainda assim considero que com calma e persistência vou conseguir cumprir o meu objectivo, e aos poucos elas vão acabar por se habituar aos legumes.

A receita desta semana é legumes gratinados e o seu pouco sucesso deve-se ao facto dos legumes não estarem escondidos nem disfarçados. De qualquer forma não usei nenhum legume que não fizesse já parte da nossa alimentação, mas geralmente está na sopa e não no prato.

Eu pessoalmente adorei. E para mim é para repetir. Vamos lá à receita:

Legumes gratinados

Prep Time: 15 minutes

Cook Time: 25 minutes

Total Time: 40 minutes

Legumes gratinados

Ingredients

  • - 2 cebolas médias
  • - 2 dentes de alho
  • - 2 cenouras
  • - 4 batatas médias
  • - 1 batata doce grande
  • - 1 beringela
  • - 1 courgete
  • - 1/2 cabeça de brócolos
  • - 2 chávenas de ervilhas
  • - 2 colheres de sopa de amido de milho (Maisena)
  • - 600 ml de leite
  • - 1 copo de vinho branco
  • - Sal, pimenta e noz moscada a gosto
  • - 3 colheres de sopa de azeite

Instructions

  1. Picar a cebola e os alhos e refogar no azeite.
  2. Cortar as batatas em cubos e coser à parte (pode ser no microondas só para entalar)
  3. Cortar as cenouras e juntar com as ervilhas ao refogado.
  4. Cortar a beringela e a courgete e juntar.
  5. Adicionar o vinho e os temperos e deixar suar tapado por 10 minutos, mexendo de vez em quando. Se necessário juntar água para não secar.
  6. Ao fim dos 10 minutos juntar as batatas e envolver.
  7. Dissolver o amido de milho no leite frio. Juntar ao tacho e deixar ferver até engrossar.
  8. Retificar os temperos e passar para um pirex. Levar ao forno a gratinar.
http://meiasmarias.com/pt/receitas/meat-free-monday-3/

Não é muito complexa de fazer e o que demora mais tempo é descascar e cortar os legumes, por isso é uma receita boa de fazer em dias de caos controlado, mas não é aquela receita que se tira do lume em 15 minutos.

Em termos de avaliação o meu voto é favorável – 1 voto a favor

A Mafalda está a aderir bem a esta ideia e também gostou muito – 1 voto a favor

O marido comeu bem (com as já habituais reclamações de não ter carne nem peixe) – 1 voto a favor

As mais pequenas fizeram uma fita dos diabos para comer – 2 votos contra.

* *

Em termos globais não acho que tenha sido uma má experiência, com o tempo as pequeninas vão acabar por se habituar e deixar de fazer dos legumes um bicho de sete cabeças.

Venha mais uma segunda sem carne!

O que ficou por dizer…

Antes que o ano avance mais tenho de fazer aqui uma pequena pausa virtual.

Com toda a correria dos meus dias escrevi os dois artigos dos anos das miúdas em Novembro, mas nunca os consegui publicar. Também nunca consegui mostrar as fotos dos bolos que fiz para elas!

Por isso é agora!

Já sabes que Novembro é aquele mês em que a minha casa vira pastelaria e eu pastelaria! Este ano a mais velha ajudou-me a simplificar ao não escolher aqueles temas das séries de adolescentes que gosta de ver.

Optámos por uma coisa mais simples e acabei por comprar umas folhas de obreira impressas e decorar os bolos a partir daí. Não deu demasiado trabalho e o resultado ficou igualmente espectacular. Fiz dois bolos muito semelhantes: um para o jantar em casa e um com dois andares para levar para a escola.Ora vê:

* *

* *

* *

* *

Já a Teresa, na sua fase da Patrulha Pata, exigiu um pouco mais de trabalho. A sorte é que também há obreira com estas impressões e assim sendo o trabalho de esculpir bonecos foi dispensado! O bolo da escola foi mesmo como ela queria e em boa verdade não sobrou quase nada! O que é sempre bom 🙂

* *

* *

Mas como este bolo exigiu um bocado mais de tempo o bolo que lhe fiz para o jantar em casa foi muito mais simples. Na verdade foi um bolo de bolacha (que elas adoram) decorado só com umas obreiras com as personagens:

* *

* *

Mas como ainda tiveram uma festa com a família e os amiguinhos da escola, ainda fiz mais dois bolos. O da Mafalda tem obrigatoriamente de ter  vários andares 🙂 e ela escolheu esta obreira com mochos, como os desenhos têm muita cor (e eu pouco tempo!) complementei a decoração com m&m’s. O candelabro das velas comprei na Tigger e foi mesmo à conta porque dava para 9 velas 🙂 Ela adorou!

* *

* *

* *

Já a Teresa persistiu com a Patrulha Pata, mas teve de ser numa versão simplificada:

* *

* *

Agora bolos só para Agosto!

Se quiseres ler os meus memoriais de aniversário estão aqui: Mafalda e Teresa

Meat Free Monday #2

O teste da semana passada tinha intenções de ser um Chilly mas o resultado final ficou uma bolonhesa. De lentilhas.

Isso, lentilhas. Se correu bem?

Sim, as lentilhas correram bem. Não é coisa que fizesse parte activa da nossa alimentação, mas no final do ano passado já as tinha introduzido em sopa com resultados muito positivos (mesmo para a que detesta sopa). Arrisquei um bocadinho ao fazer das lentilhas a estrela da refeição mas tinha mesmo de ser feito o teste.

A receita de partida era bem simples mas levava pimentos, e por cá é coisa que ninguém aprecia, em alternativa juntei cenoura e por isso acabou por ficar reduzida a uma bolonhesa, o que resultou muito bem por cima de arroz branco.

A receita que acabei por fazer é a seguinte:

Bolonhesa de Lentilhas

Bolonhesa de Lentilhas

Ingredients

  • -- 1 cebola grande
  • -- 1 cenoura grande
  • -- 1 lata grande de tomate pelado
  • -- 3 colheres de sopa de azeite
  • -- 2 dentes de alho
  • -- 1 folha de louro
  • -- 250gr de lentilhas secas (para 6 pessoas)
  • -- 1 copo de vinho branco
  • -- 600ml de água
  • -- Sal e pimenta q.b.

Instructions

  1. No tacho:
  2. Refogar a cebola picada com o azeite, o alho e a folha de louro (5 minutos). Juntar a cenoura e o tomate cortados em bocados e o vinho, mexer e deixar refogar (5 minutos).
  3. Juntar as lentilhas e 600ml de água e temperar com sal e pimenta. Deixar ferver até as lentilhas estarem tenras (30-40minutos).
  4. Retirar 1/3 do preparado e passar na varinha mágica para obter um puré. Juntar este puré novamente ao tacho, mexer e servir.
  5. Na bimby:
  6. Colocar no copa a cebola, os alhos e o azeite - 5s vel 5.
  7. Colocar a cenoura e o tomate - 3s vel5
  8. Com a espátula empurrar o que está agarrado ao copo. 5m vel1 TVaroma
  9. Juntar o vinho. 3 m vel1 TVaroma
  10. Juntar a água, o sal, a pimenta, o louro e as lentilhas. 30m vel1 T100ºC
  11. Aumentar o tempo se for necessário e até as lentilhas ficarem tenras.
  12. Retirar 2/3 do preparado para um recipiente. Passar o restante 1m Vel 5 a 7. Juntar o puré às lentilhas, mexer e servir.
  13. Acompanha com arroz branco e um salpico de queijo parmesão.

Notes

A quantidade de água e o tempo de cozedura das lentilhas poderão ter de ser ajustadas.

http://meiasmarias.com/pt/receitas/meat-free-monday-2/

E quanto a resultados:

A miúda do meio que é esquisita como tudo ADOROU – 1 voto a favor (devia valer por 2!).

Eu gostei bastante, especialmente da sensação de estar cheia e sem fome sem me sentir enfartada – 1 voto a favor.

A miúda maior gostou também muito – 1 voto a favor.

A miúda mais pequena não estranhou, comeu bem, e só no fim é que deu conta das lentilhas. Disse-lhe que eram smarties e catou as lentilhas do prato para a boca sem estranhar nem regeitar o sabor e a consistencia, o que me parece fortemente positivo –  1 voto a favor.

O marido comeu, disse que sabia a feijão com arroz, mas continua a sentir a falta da carne ou do peixe – 1 voto neutro.

Em termos globais a receita é fácil de fazer, e dá para adaptar para a bimby, o que facilita o processo. É um pouco mais demorada já que as lentilhas têm de cozer, mas como não precisa de grande assistência não obriga a estar sempre de olho no fogão.

* *

É super económica e por isso é uma receita que se irá repetir por cá mais vezes. Ainda com a vantagem de poder ser feito a mais, congelar e comer aquecido noutro dia.

É uma receita vencedora!

E tu? Vais experimentar?

Sophie’s Universe #1 e 2

É altura de te mostrar os progressos feitos na manta Sophie’s Universe.

Podes reler o início desta minha paixão aqui

* *

Esta é a primeira parte terminada. Até aqui nada de novo mas é bom ver que esta manta cresce a bom ritmo! Parece um naperon de mesa

* *

Fácil e rápido de fazer e este algodão Drops é um sonho!

Seguindo para a parte 2!

Meat Free Monday – 2as Sem Carne

Neste primeiro artigo de 2017 escrevi sobre uma das minhas resoluções de ano novo: fazer uma alimentação mais saudável aderindo ao movimento segundas-feiras sem carne (Meat free Monday).
Já algum tempo que andava com vontade de introduzir refeições com menos proteína animal nas refeições da família, mas vamos ser honestos: é culturalmente um desafio fazer isto! Estamos tão agarrados à ideia de que precisamos de carne ou peixe na refeição que se torna quase impraticável seguir com isto em frente. Mas é um objectivo e achei que serviria um duplo propósito se partilhasse aqui no blog a evolução disto, assim espero manter-me motivada e espero que esta minha experiência sirva de base para ti também.
Há aqui algumas considerações que são necessárias fazer antes de iniciar:
O objectivo não é tornarmos-nos vegetarianos. O objectivo é reduzir a quantidade de carne e peixe que ingerimos e aumentar a quantidade de vegetais, cereais e leguminosas na nossa alimentação diária.
As refeições têm de ser “amigas” das crianças. As minhas filhas são crianças “normais” e odeiam a generalidade dos legumes, o meu marido também. Vai ser arriscado e desafiante conseguir uma refeição que agrade simultaneamente a quem não gosta de grão e feijão, a quem não gosta de cenoura, a quem não gosta de cogumelos, a quem não gosta de brócolos…Bem, estás a imaginar onde quero chegar!
Este plano tem de ser mantido em segredo porque se eles sonham não há quem coma nem uma colherada! Por isso vou começar por refeições “semelhantes” às que já fazemos mas sem carne e sem peixe, e aos poucos vou avançando um pouco mais… E se me perguntarem, eu direi que o peixe ou a carne está lá, bem picadinho, tão bem picadinho que nem se nota!
Não vamos para já excluir os lacticínios, nem os ovos.
Não vamos incluir substitutos como o tofu ou o seitan, a soja granulada ou em pedaços ou outras coisas afins. Porque a ideia é mesmo comer mais vegetais, cereais e leguminosas, mesmo que estejam escondidos e disfarçados.
Por último, as refeições têm de ser suficientemente fáceis e rápidas de fazer, para serem exequíveis de integrar as minhas ementas mensais.
Posto isto, a minha ideia é partilhar contigo a receita que usei e as eventuais alterações que fiz, e também a aprovação que teve junto dos meus comilões. Assim consigo manter um registo do que teve mais aceitação e consigo partilhar contigo o resultado!
Então o primeiro teste é este:

* *

A receita original é daqui e escolhi esta porque este é um tipo de pasta que costumo cozinhar, normalmente com fiambre, bacon, frango ou até salchichas. Pode ser que não deem pela falta da carne!
As alterações que fiz foram estas:
Não usei nenhum caldo de legumes para cozer as massas, usei apenas água.
Usei espargos de conserva porque não é altura dos frescos e adicionei-os já quase no fim da cozedura.
Não usei as malaguetas.
Usei “natas” de soja porque aqui há barrigas intolerantes às natas normais.
Refoguei a cebola com o alho e juntei as ervilhas e os cogumelos ao refogado.
Deixo-te a receita também porque alterei a quantidade dos ingredientes:

Pasta Primavera

Prep Time: 10 minutes

Cook Time: 15 minutes

Total Time: 25 minutes

Pasta Primavera

Ingredients

  • 4 chávenas de água (para 450gr de massa)
  • 75gr de esparguete por pessoa (dose)
  • 1 cebola pequena
  • 450gr de brócolos
  • 1 frasco de espargos de conserva (ou frescos)
  • 1 lata de cogumelos ou 250gr de cogumelos frescos
  • 4 dentes de alho
  • sal e pimenta a gosto
  • 3 colheres de sopa de azeite
  • 1 chávena de ervilhas congeladas
  • 1 raminho de salsa picada
  • 1 pacote de natas ou natas de soja (250ml)
  • 3 colheres de sopa de queijo parmesão ralado
  • 1 colher de chá de raspa da casca de um limão

Instructions

  1. Num tacho largo refogar a cebola com o alho e o azeite.
  2. Quando a cebola estiver translucida juntar os cogumelos e as ervilhas. Temperar com o sal e com a pimenta e deixar refogar 2 a 3 minutos.
  3. Adicionar a água, os brócolos e a massa e deixar ferver 7 minutos.
  4. Juntar as natas, os espargos e o queijo e deixar ferver mais 2 minutos.
  5. Tirar do lume e juntar a salsa picada e a raspa da casca do limão. Envolver e deixar repousar mais 2 a 3 minutos antes de servir.

Notes

A massa tem de ser mexida com muita regularidade porque a massa coze com a quantidade de água certa. Sendo assim, a quantidade de água que colocas no tacho tem de estar ajustada à quantidade de massa que vais cozer. Se vais usar menos massa do que eu usei (450gr) reduz também a água, e se for necessário vais acrescentando aos poucos. O queijo parmesão não deve ser daquele já ralado. Investe num bom queijinho para ralar na hora porque vai fazer toda a diferença no sabor e na cremosidade do molho!

http://meiasmarias.com/pt/receitas/meat-free-monday-2as-sem-carne/

E como correu?
Correu bem. Eu gostei bastante, a raspa do limão torna-o fresco e de certa forma leve. 1 voto a favor!
A mais velha gostou bastante. 1 voto a favor!
A do meio notou o sabor do limão, fez-se um pouco esquisita na primeira impressão, depois disse que era bom, comeu sem fitas, mas não comeu mais do que o normal, nem com mais entusiasmo – 1 voto neutro.
A mais nova não estranhou o sabor, comeu como sempre come, foi como se fosse uma refeição normal – 1 voto a favor!
O marido comeu, reclamou que faltava carne, ou peixe, perguntou se podia juntar ao menos atum, comeu bem e repetiu. Não foi uma reação assim tão negativa por isso: 1 voto neutro!
Resumindo:

* *

Em termos práticos é fácil e rápida de fazer. Não é particularmente dispendiosa e se a classifiquei com duas estrelas é apenas porque usei cogumelos frescos e porque os espargos podem encarecer um pouco a receita, especialmente se forem frescos.
Não foi uma experiência a não repetir por isso leva três estrelas de pontuação final, o que a classifica para ingressar nas minhas ementas mensais.
Esta é até daquelas receitas que dá para tirar na cartola nos dias em que me esqueço de descongelar carne ou peixe… Calhando até me vou começar a esquecer mais vezes!
E tu? Estás disposta a tentar? Diz-me como correu!

Como gerir melhor o tempo – S.O.S. Organizar

Sempre que um novo ano começa eu começo uma nova agenda. Parte do meu processo de adaptação ao novo ano passa por percorrer o calendário, procurar os feriados, ver quando é o Carnaval e a Páscoa, em que dia calha o Natal e os aniversários da família.

De uma forma inconsciente é assim que começo a organizar o meu ano. Os feriados e os fins de semana grandes ajudam-me a escolher os dias para gozar férias, saber quando calham as festividades móveis permite-me antever quando vou ter que me dedicar a preparar cada uma delas. E de certa forma á aqui que começo a segmentar o meu tempo.  

Já aqui tenho escrito muitas vezes: ser mãe mudou por completo o meu tempo e isso obrigou-me a desenvolver um sistema de organização que me permita controlar tudo aquilo que precisa de ser controlado com o mínimo de esforço meu e que me permita ganhar algum tempo para mim. À segunda vez a vida não se tornou mais fácil de gerir, e à terceira ainda menos! E com o meu tempo a ser cada vez mais encurtado o meu sistema de organização foi sendo cada vez mais apurado e funcional!

Vejo no meu dia a dia muitas mulheres (colegas, amigas e até desconhecidas nos transportes) numa luta incansável com a gestão do tempo. E a verdade é que não é preciso ser mãe de 3 crianças e trabalhar a tempo inteiro para sentir que o tempo não estica e não chega para tudo. Todas nós temos as mesmas 24H00 do dia para gerir e todas nós precisamos de tempo para o que mais gostamos de fazer, mesmo sem trabalho ou sem filhos o nosso tempo não deve ser desperdiçado. Cumprir as obrigações do dia a dia sim, mas não há nada que diga que as coisas não podem ser feitas com pouco esforço e gastando só o tempo necessário!

Esta foi a minha motivação para lançar em 2015 o S.O.S Organizar: perceber que esta minha necessidade de gerir bem o tempo e fazê-lo sobrar é comum a mais mulheres, e foi assim que decidi compilar todo o meu sistema de organização em algo pudesse ser facilmente usado para obter os mesmos resultados de sucesso.

E no entretanto passou pouco mais de 1 ano e eu senti necessidade de refazer alguns dos meus planeadores, e acrescentar outros que me foram fazendo falta que só fazia sentido fazer uma nova edição do S.O.S. Organizar!

E é precisamente isso que te quero apresentar!

* sos_8 *

Para quem ainda não conhece, o S.O.S. Organizar é uma ferramenta de apoio à organização das várias vertentes da nossa vida e que inclui:

  1. mais de 70 mapas e planos digitais para impressão, fornecidos em dois tamanho: A4 e A5 para poderes escolher qual o tamanho em que cada um deles te dá mais jeito;
  2. 20 separadores, para poderes organizar tudo ao teu jeito;
  3. 1 guia com 17 páginas de informação de apoio e dicas sobre organização, onde te explico como uso cada um dos planos e de que forma me resolvem os problemas que tenho na gestão do meu tempo.

Os planeadores e mapas do S.O.S. Organizar estão agrupados em 4 categorias: GERAIS, PESSOAIS, FAMÍLIA e CASA.

* sos_6 *

E ainda inclui um bónus para quem gosta de tricot e crochet que permite planear e acompanhar os projetos em execução!

Este é um produto digital que está disponível no Etsy para download imediato após pagamento via Paypal ou Cartão de Crédito. O ficheiro para download é uma pasta em formato .ZIP com 18MB de ficheiros .PDF.

E claro, os documentos fornecidos estão integralmente em PORTUGUÊS! Chega de Meal Planners, To Do List’s, Mensal Planners e afins! Aqui os dias da semana vão de 2ª a 6ª feira e o fim de semana tem um Sábado e um Domingo!

* sos_1 *

No S.O.S. Organizar vais encontrar:

  • Calendário 2017 mês a mês com pequenos desafios e inspirações (NOVO)
  • Calendário Perpétuo
  • Datas Importantes
  • Mapa Anual
  • Planeador Diário Horizontal
  • Planeador Semanal Horizontal
  • Lista Mestra de Tarefas
  • Gestão de Tarefas (NOVO)
  • Lista de Prendas
  • Notas
  • Orçamento Mensal
  • Planeador de projetos
  • Incubadora de Ideias (NOVO)
  • Objetivos anuais
  • Check-List
  • Planeador de Refeições Semanal
    • 1 refeição por dia – Sopa, Prato e Sobremesa
    • 3 refeições por dia – Almoço, lanche e jantar
  • Planeador de Refeições Mensal – 1 refeição por dia (NOVO)
  • Hora dos remédios
    • 1 doente
    • 2 doentes
    • 3 doentes
    • Doente extra
  • Mapa de Comportamento
    • 1 criança
    • 2 crianças
    • 3 crianças
  • Plano de Festas
    • Ementa da festa
    • Plano da festa
    • Lista de convidados
    • Lista de compras simples
    • Lista de compras por categoria
  • Plano Mensal
  • Horário escolar
  • Lista de Compras
  • Mapa de Limpezas
    • Plano Anual
    • Quinzenais
    • Semanais
  • Ficha de receitas
  • Inventário de congelador
  • Inventário da despensa
  • Separadores
    • Mensais
    • Receitas
    • Projetos
    • Objetivos
    • Agenda
    • Casa
    • Escola
    • Pessoal
    • Outros

E ainda tem um bónus extra para quem é dado a trabalhos de crochet e tricot:

  • Planeador de projetos de tricot e crochet
  • Lista de projetos a fazer para o Natal
  • Cartão de acompanhamento da execução do projeto

Estes só em formato A4.

O S.O.S. Organizar 2017 está disponível na minha Loja Etsy. Nunca fizeste compras no Etsy? O Etsy é uma plataforma de compras online que facilita o processo de compra e venda de bens. Mais do que facilitar torna este processo seguro. Mais seguro do que se o sistema de compras estivesse alojado aqui. Utilizar o Etsy como intermediário é uma forma de te proteger a ti e a mim de problemas gerados por pessoas mal intencionadas durante o processo de compra. O Etsy aceita pagamentos via Paypal e com cartão de crédito, mas mais uma vez, esta é a forma mais segura de fazer pagamentos online.

* sos_3 *

Comprar agora

Se as compras online não são a tua praia, podes adquirir o S.O.S. Organizar 2017 por transferência bancária. Tens é de solicitar a compra por email para: mariana@meiasmarias.com para que eu te possa fornecer os dados para pagamento. Nota que o ficheiro ser-te-á enviado por email, mas só receberás o ficheiro após boa recepção do pagamento ou após recepção de um comprovativo de transferência válido, e deverás assegurar que a tua caixa de correio permite a recepção de um ficheiro deste tamanho.

Ah! Já compraste a versão anterior? Não tem problema! Manda-me um email para mariana@meiasmarias.com e solicita gratuitamente a tua versão de atualização do S.O.S Organizar 2017!

E se tiveres alguma dúvida não existes em contactar-me.

Aceitas o desafio? Queres mais tempo de qualidade e o conforto de não sentires que os teus dias te deixam a sensação de seres um comboio à beira de descarrilar?

2017 Ano de Mudança

E chegamos finalmente a 2017!
Diz que 2017 vai ser um bom ano e eu espero mesmo que sim, para mim e para todos.
E claro, com o novo ano é tempo de definirmos objetivos. Podes chamar-lhes resoluções se quiseres, mas eu prefiro objetivos. Porquê?
Porque uma resolução é uma espécie de desejo que gostarias de ver realizado, e precisamente por ter estatuto de desejo é quase impossível de alcançar. Mas a culpa é nossa pela forma como formulamos esta resolução ora vê:
Eu podia ter como resolução de ano novo perder 20 quilos. Mas a verdade é que continuo a ser uma gulosa de primeira que detesta fazer exercício, e isso não mudou com as 12 badaladas! Por isso a minha resolução é fazer uma alimentação mais saudável. Fazer uma alimentação mais saudável pode não levar os 20 quilos, mas estará presente comigo ao longo do ano, nas escolhas que eu fizer, nas refeições que eu preparar, e assim torna-se um objetivo que eu vou concretizando decisão a decisão.
Outra coisa importante quando definimos objetivos é definirmos também o caminho que vamos percorrer para lá chegar. Isto permite-nos ter a clarividência necessária para percorrermos o caminho até chegarmos ao nosso objetivo. Assim, a pergunta que me deves fazer é como é que eu estou a pensar tornar a minha alimentação mais saudável? E isto obriga-me a definir uma estratégia, um plano de ação. E eu respondo-te que quero introduzir refeições vegetarianas ou com baixo teor de proteína animal nas minhas ementas e estendê-las ao resto da família, de forma a reduzirmos gradualmente a quantidade de proteína animal que ingerimos.
É um objetivo, com uma medida de ação concreta, perfeitamente atingível.
Um outro exemplo comum é o do dinheiro. É comum termos como resolução de ano novo poupar “algum” dinheiro ou gastar “menos” dinheiro. Mas não assumimos quanto é que queremos poupar nem como é que vamos conseguir fazer isso por isso chegamos ao fim do ano com tanto ou menos dinheiro do que tínhamos em Janeiro. Agora se decidirmos que todos os meses vamos tirar 50€ do ordenado para um mealheiro ou para outra conta, isso sim é um objetivo bem quantificado. Ao fim do ano são 600€ de poupança com um plano de ação bem definido! Ou jogar no euromilhões só uma vez por semana: 125€, poupar um café por dia 255€…
E é assim que deves pensar as tuas resoluções. Não como mudanças radicais em que te transformas naquela versão perfeita de ti, mas em pequenos objetivos e ações, ao alcance do teu passo, que te ajudam a ser mais feliz contigo sem te castrar.
E isto das resoluções de ano novo não é um disparate pegado? Sim e não. É se as projetares tão alto que nunca na vida as vais conseguir alcançar. E também é se o teu pico anual de motivação não é agora. E não, não é um disparate aproveitar uma altura em que te sentes motivado para te desafiares a ti próprio a subir mais um degrau, a ir um pouco mais longe, a saíres um pouco da tua zona de conforto e ires mais além. É como apanhar a boleia de uma onda, aproveitas a boa energia para impulsionar uma decisão construtiva e fundamentada.
E como não há nada como dar o exemplo aqui ficam os meus objetivos para 2017

1ºObjetivo – Aderir ao “movimento” 2ª feira sem carne, com o duplo benefício para a nossa saúde e para o ambiente. Mais informação aqui e em português aqui.

Ação – Testar todas as segundas feiras receitas vegetarianas “amigas das crianças e do marido dependente de proteína animal”, introduzir as receitas vencedoras nas ementas mensais.

2º Objetivo – Aprender a fazer meias em tricot (gosto tanto destas!).

**

Ação: escolher um esquema simples e pequeno (provavelmente para o bebé sobrinho que vem a caminho) e por mãos à obra

**

3º Objetivo – Fazer o meu primeiro podcast para o blog

Ação – Vencer o medo, definir os conteúdos a abordar, criar o cenário e avançar!

Estes são os meus grandes desafios para 2017. É claro que vou fazer muito mais do que isto, mas sempre dentro da minha zona de conforto, como continuar a escrever aqui ou desenvolver coisas novas para a loja ou dedicar tempo a todos os outros mil projetos que tenho entre mãos. Mas a ideia do novo ano não é fazer uma lista de tarefas nem o top 50 coisas a fazer antes de morrer.
A ideia é o desafio, é o passo à frente, a caixa pelo lado de fora!
Pronta para (re)escrever as tuas resoluções de ano novo? Partilha-as nos comentários!

6

* *

Quando paro para pensar em ti lembro-me sempre daquele dia, daquela ecografia, da má notícia, do susto, da solidão naquela sala que me pareceu enorme, do medo de te perder, do alívio de te ter finalmente nos braços e dos dias difíceis que tivemos até aos teus 18 meses. Tudo parecia tão improvável…

E depois fazes 6, senhora de ti. Refilona, dona das tuas palavras, rezingona mesmo. Mas doce como só tu sabes ser. Engraçada e brincalhona, usas as palavras nos teus jogos, inventas novas, dás-lhes outro sentido sem teres medo delas.

Foi um ano de mudanças que aceitaste com muita coragem. Expliquei-te que não faz mal ter medo (eu nunca pude ter medo, sabes?), que é normal termos medo das coisas que não conhecemos e que não sabemos como são.

Caiu-te um dente e foi o caos. Nem fada, nem prenda, nem coisa nenhuma. Estavas inconsolável. Não sei o que pensaste mas eu pensei que era o fim. Quando os dentes começam a cair é altura de reconhecermos que os filhos estão mesmo a crescer e não há como parar. É horrível. Mas tu podias chorar, eu não. Foi o único. Tens mais dois ou três dentes a abanar, que hão-de cair mas há de ser de tédio, porque mal lhes tocas ou deixas tocar.

Deixaste a tua escola de bebé e foste para a escola das letras, levaste só dois amigos. Ia-mos as duas com o coração nas mãos, mas seguraste as lágrimas com a tua coragem de leão, e eu não te quis deixar ficar mal e por isso acabei com a garganta cheia de nós de tantas lágrimas que engoli. Sabes, o coração da mãe não está nunca preparado para isto, mas faz parte e tem mesmo de ser. Mesmo com medo.

És responsável com os teus trabalhos de casa embora nem sempre os faças com grande vontade.

Continuas a ser a irmã do meio, e ganhas muito com isso. Às vezes brincas com a mais velha, às vezes com a mais nova. Tens o melhor dos dois mundos. Naturalmente a gestão de conflitos não é o teu forte, e se a Sofia te bate tu respondes, o que nos enlouquece.

Continuas a ter aquela relação com a comida e as nossas refeições são marcadas por ti. É raro o dia, e a refeição, em que não temos de nos chatear contigo. Já é a tua imagem de marca.

Quem diria, Teté Jubita, que mesmo sem sopa havias de crescer tanto!

Continuas mais reservada do que as tuas irmãs. Ganhas pelo que observas e nada te escapa. Tens o teu ritmo e respeitá-lo é para nós fundamental.

És preguiçosa no sentido de que não gostas de fazer coisas que dão muito trabalho. Nunca pintas a cara em festas porque dá muito trabalho a limpar, não te aventuras em projetos e grandes coisas porque dá muito trabalho, mas em compensação fazes a tua cama quase todos os dias sem ser preciso dizer nada. E numa casa onde não fazer a cama é principio, deixas-me muitas vezes envergonhada e a pensar que deves ter herdado os genes da tua avó bisa, ou isso ou é mais do Karma para me perseguir!

Estás na fase da Patrulha Pata e a tua sorte é que são bem menos irritantes do que as Violetas e afins com que a Mafalda delira.

Não és nada medricas com os bichos mas este ano desenvolveste uma obsessão com as alforrecas que me tirou do sério. Em contrapartida és a companhia ideal para passear na praia e apanhar conchas: nunca te cansas de andar!

Foi um ano de muitas mudanças para ti e para mim mas é bom ver-te a voar!

A mais um ano de conquistas!