Bolo de Aniversário Torre da Rapunzel

Para a festa grande estava guardado o bolo grande. A torre da rapunzel foi o grande pedido da Mafada, e ficou tão feliz que valeu as horas de trabalho. A Teresa alinhou na brincadeira. Por enquanto é fácil, difícil vai ser quando cada uma quiser uma coisa diferente 🙂 De 4 passamos a 8 bolos!

Um grande obrigada ao meu pai e à minha tia que ajudaram a transformar este bolo de desenho a realidade.

DSC_0059_1 DSC_0061_1 DSC_0071_1

DSC_0072_1

DSC_0084_1

DSC_0206_1

2 Anos

IMGP0689_1

Há dois anos mudaste a minha vida com esse teu jeito de ser. Chegaste sem aviso como quem responde a um desejo soprado e foi essa a primeira vez que “disseste” faço sim, mas à minha maneira! Quando pensei que te fazia já tu estavas em mim, e eu preferi assim. Gosto de recordar-te como a doce surpresa que sempre foste.

Contudo, pouco depois de te saber em mim, e quando já tinha o meu coração de mãe preparado para boas noticias às 12 semanas (às 10 semanas estavas linda e cheia de força) fomos todos surpreendidos por uma má surpresa que te podia ter levado de nós. O medo de te perder fez com que mentalmente me fosse preparando para o pior e isso fez-me perder a capacidade de me ligar a ti. Talvez por isso tenhas desenvolvido essa capacidade tão tua de me mostrares o quão gostas de mim e o quão importante sou para ti. Nunca ninguém me conquistou tantas vezes em tão pouco tempo e tu consegues fazê-lo todos os dias.

E novamente às 35 semanas uma ameaça de parto e o meu coração a ficar pequenino a cada dia que passava. Quando chegamos às 37 semanas suspirei de alívio e tu também o deves ter feito porque decidiste ficar mais 2 semanas e assim nascer no fim do tempo. O teu parto foi lindo e poder ter cortado o teu cordão umbilical foi mágico. Bastou olhar para ti, sentir o teu calor e o teu cheiro para estar para sempre presa a ti.

Tal como a tua irmã não foste um bebé fácil. Nos primeiros meses as cólicas desesperavam-nos a todos, aprenderes a comer for um desafio maior do que qualquer outro e vencer esse teu mecanismo de regorgitação da comida quase nos levou ao desespero. Com 18 meses pesavas 9 kg, o mesmo que a tua irmã com 9 meses.

Quando foste para a escola aprendeste a fazer como os outros meninos e por lá ninguém se queixa de ti, embora em casa continues a ser dificil com a sopa e com a fruta.

Mas não é isto que guardo de ti. O que guardo de ti é essa doçura que tens em ti, o jeito como sorris quando te encho de beijinhos, a forma como te agarras a mim com braços e pernas quando estás ao meu colo, como se nunca mais me fosses largar.

É essa tua vontade de superares os obstáculos e nunca te deixares ficar atrás, é a forma como observas o mundo à tua volta e bebes a informação para a transformares em aprendizagens, quase sem precisares de nós.

Foste cuidadosa na aprendizagem de andares e só quando te sentiste segura é que o fizeste, ainda assim com 1 ano já andavas, mas nunca gostaste de dar um passo maior que a tua perna. Já a fala surpreendeu-nos a todos porque com dois anos falas como se estivesses perto dos 3 e qualquer pessoa te entende. É claro que só falas connosco, com os teus avós e com os teus colegas da escola, porque é quem com te sentes mais confortável e provavelmente sem vergonha.

Acompanhas quase todas as brincadeiras da tua irmã e as poucas que não consegues acompanhar fazes questão de estar por perto na mesma. Adoras carrinhos e brincas com facilidade com os brinquedos da tua irmã, mesmo que supostamente não sejam para a tua idade.

Fazes as caretas mais engraçadas e doces que alguma vez vi e a tua linguagem corporal é tão intensa como a verbal. Sabes dizer não com todos os musculos do teu corpo e estás a chegar à fase das birras, o que significa que não queres ser contrariada nem por nada e tudo tem de ser à tua maneira. Com o tempo hás-de aprender a controlar os teus impulsos e isso não me preocupa.

O teu sorriso é ouro, ilumina-te de tal forma que é impossivel não te sorrir de volta.

És e serás sempre o meu bebé.

Festa de Aniversário Rapunzel

O tema deste ano é a história da Rapunzel contada no filme Entrelaçados, escolhido pela Mafalda. Os convites foram feitos a preceito respeitando o tema mas com materiais simples como as cartolinas e o papel crepe, a lã e o feltro. Um acrescento de brilho com estrelas metálicas e cola glitter.

Estes foram para a escola, para entregar em mão e serviram de modelo para fazer os convites digitais para o resto da família e para outros amigos que não estão na escola com ela!

Rapunzel Party Invitation 1

Rapunzel Party Invitation 2

A mesa da festa sob o mesmo tema:

Rapunzel Birthday Party

O Bolo de Aniversário da Rapunzel, feito à volta de uma boneca Rapunzel:

Rapunzel Birtyhday cake 1

Rapunzel Birtyhday cake 5    Rapunzel Birtyhday cake 3 Rapunzel Birtyhday cake 7

Rapunzel Birtyhday cake 8

Rapunzel Birtyhday cake 10

Rapunzel Birtyhday cake 12

Mais uns cupcakes para enfeitar a mesa:

Rapunzel Birtyhday Cupcakes 1

Os cake pops da gulodice:

Cake Pops

E as lembrancinhas para os amigos:

Birthday favors

5 Anos

IMGP0671_1

Passaram 5 anos e só me ocorre o lugar comum do “passou tão depressa”. A verdade é que me parece que foi ainda ontem que me vi envolvida no turbilhão de emoções que foi descobrir que estavas em mim. Primeiro tive muito medo, depois senti-me muito feliz e à medida que o tempo foi passando e a tua chegada se aproximava, o medo veio novamente de mansinho.

E foi assim que de madrugada fomos para o hospital e pode parecer estúpido mas durante todo o tempo senti que me “seguravas a mão”, senti que me dizias que ia correr tudo bem, senti que me acalmavas. E vieste ao mundo sem dor e de olhos bem abertos olhaste para mim sem nunca desviares o olhar, fixaste-os em mim e naquele momento todo o meu mundo mudou. Não tenho ideia de te ter ouvido chorar mas sei que o fizeste, embora só durante o tempo de chegares até mim, depois ficámos as duas em silencio enquanto as nossas almas conversavam.

Foste sempre um bebé dificil, fizeste-me muitas vezes sentir à beira do colapso e com isso mostraste-me até onde pode ir o amor de mãe e mostraste-me que no fundo ser mãe é ser elástica, é aguentar ainda um bocadinho mais quando pensamos que já não conseguimos ir mais longe.

Depois passou e tornaste-te num dos bebés mais amorosos do mundo. Quando tinhas um ano e te ia adormecer abrias os braços e fazias questão que eu deitasse a minha cabeça no teu ombro, como se me abraçasses e me quisesses tu proteger do mundo.

És uma alma velha, tenho dito muitas vezes, e tens-me ensinado tanto ou mais a mim do que eu a ti.

És segura e determinada, és senhora de ti, sabes o que queres e quando queres. Ignoras muitas vezes o que te digo embora me faças o favor de aceder gentilmente quando te repreendo ou te digo para não fazeres qualquer coisa. Muitas vezes desespero com isso mas sei que é isso que te vai proteger e te vai ajudar a percorreres o teu caminho. Como pessoa gosto que sejas assim, como mãe é muitas vezes dificil.

Ainda assim não és nem nunca foste criança de birras, por isso quando és contrariada nas tuas vontades ficas um bocadinho amuada, mas nem sempre, e é coisa para passar tão depressa como chegou. Raramente choras, o que para mim é um mistério e uma desconfiança de que herdaste o meu orgulho, e igualmente um receio de que venhas a sofrer até aprenderes que às vezes tens de saber não ser orgulhosa. Não que goste de te ver chorar porque não gosto, mas porque quando vejo outras crianças com a tua idade percebo o quão diferente tu és neste aspeto.

Adoras pintar e desenhar e só à pouco tempo os teus desenhos evoluiram de riscos e rabiscos para coisas que já vamos percebendo o que são. Gostas de histórias e de fazer contas, mas não gostas de não saberes alguma coisa e quando te sentes insegura falta-te a preserverança de te tentares vencer, desanimas e desistes até voltares a encontrar vontade para prosseguires.

És vaidosa e continuas a gostar do faz de conta, mudas de roupa e queres pintar a cara, como se todos os dias pudessem ser carnaval.

Gostas do Tom & Jerry mais do que qualquer desenho animado, e a tua princesa preferida é a Cinderela. Tens pesadelos com os vilões dos filmes e por isso deixaste de ver a princesa e o sapo. Quando escolhes os filmes muitas vezes dizes que não queres ver este ou aquele porque depois sonhas com uma ou outra personagem, como o Gargamel dos Smurfs.

Estás desejosa que te comecem a cair os dentes, porquê não sei.

Tens uma relação fantástica com a tua irmã, és maternal e acho que muitas vezes aproveitas para brincares às mães com um bebé verdadeiro. Quando estão a comer e eu me levanto da mesa aproveitas a oportunidade para lhe dares uma colher de comer à boca e às vezes de manhã quando me levanto e vou ao vosso quarto vejo as duas na tua cama. És cuidadosa e calças a tua irmã quando ela se levanta porque sabes que nenhuma de vocês deve andar descalça. Tens a obcessão de pores a tua irmã no bacio, o que nos desespera às duas!

Claro que te desentendes com ela mas felizmente, grande parte do tempo, conseguem brincar as duas sem se chatearem e sem discutirem por causa dos brinquedos, embora às vezes se entusiasmem e as vossas correrias pela casa acabem com uma de vocês a chorar porque se aleijou. Mas faz tudo parte.

Continuas a ter um medo inexplicável de cães e descobriste que gostas de arroz doce, de o comer e de o fazer, por isso quase todas as semanas fazemos arroz doce para ti. Também gostas de me ajudar na cozinha e fazes bolachas quase sem ajuda. Gostas de fazer as bolachas para as ofereceres à tua educadora, o que eu acho fantástico.

Também tu és uma bolacha. És a minha bolachinha e fazes o meu mundo girar já hà 5 anos!

Quilt lembrança de casamento

Faz hoje um ano que casei. Em dia de celebração partilho convosco uma pérola “esquecida”! O nosso futuro quilt memorial! No dia do nosso casamento pedimos aos nossos familiares e amigos para escreverem qualquer coisa para nós, como num livro de honra. O resultado foi eespectacular e mal posso esperar para me poder dedicar a fazer o nosso quilt. É mais um pedaço da nossa história que se escreve literalmente entre linhas e panos.

IMGP0264_1 IMGP0262_1 IMGP0260_1

Bolo de Aniversário #1

bolofatia

Setembro é o mês em que por cá celebramos mais aniversários. São agora 8 os aniversários deste mês, já que a Francisca se juntou a nós na passada semana. Ora com tanto bolo de aniversário as probabilidades de me calhar fazer um deles são… muito altas!

Por isso o fim de semana foi dedicado ao cake design! E já tinha saudades de fazer um bolo assim, do principio ao fim, com direito a camadas e recheio, cobertura e decoração! Foram dois dias de trabalho, mas sobretudo muito prazer!

E valeu bem a pena, senão pelo bolo em si, pelo prazer de o fazer e por em práticas em horas de formação que já tenho!

Enquanto o bolo esfria é tempo de praticar o desenho com bico de pasteleiro, usando glace real experimenta-se várias formas e desenhos e acima de tudo descontrai-se os pulsos e afina-se a técnica!

IMGP0015_1

Bolo de Limão em 4 camadas com recheio de Lemon Curd. Tudo feito em casa com muito amor e carinho!

IMGP0019_1

E cobertura de ganache de chocolate branco para equilibrar o limão!

IMGP0023_1

bolotopo

bololateral

bololado

bologeral_2

bologeral

Como fazer um Quilt #1

Gosto muito de fazer quilts. É um projecto que nunca cansa por mais que se faça. Não sei se é do entusiasmo de poder escolher livremente as cores, os tecidos e os padrões, ou talvez seja das infinitas combinações de formas e cortes que podemos fazer. Fazer um quilt é quase como pintar um quadro: primeiro há à tela branca e vazia que se vai enchendo de cores e formas, e no final o resultado é perfeito!

Eu gosto dos meus quilts com cores vivas e fortes, gosto de tecidos simples e gosto de muito branco a fazer brilhar as cores. Gosto de brincar com as formas e de criar os meus próprios esquemas. A bem dizer acho que só fiz um quilt com base num modelo pré definido e foi mesmo o primeiro!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Este vai ser mais um quilt de bebé e claro, já tem destino. Desenhei o quilt e chamei-lhe “Squezze my square”. Terminado vai ter cerca de 1mX1m, as dimensões ideais para um bebé e mais tarde para servir de aconchego no carrinho de passeio. A minha sobrinha Bia teve direito a um quando nasceu e quando saia em passeio no carrinho levava sempre o quilt com ela e chorava que se fartava se alguém lhe tirava o quilt de cima! Tinha pouco mais de mês e meio, por isso sim, faz toda a diferença!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Para a Teresa fiz um maior, para a cama de grades, mas como ela nunca lá dormiu, poucas vezes o usou. Agora sempre que tiro o quilt do armário ela agarra-se a ele e abraça-o. E a Mafalda também… porque não tem nenhum quilt, mas adora o da irmã e está-me sempre a pedir que lhe faça um… Importa dizer que quando a Mafalda nasceu eu ainda não tinha sido mordida pelo bichinho do quilt!

Isto tudo para dizer que se existe um “must have” no enxoval dos bebés é um quilt. Vai daí que é seguramente a melhor prenda que se pode oferecer a um recém nascido, ainda mais se tiver sido cuidadosamente cosido, com todo o amor e carinho, por alguém que lhe é próximo.

E pode ser um projecto fácil de fazer. No caso do “Squezze my Square” é super simples de fazer e rápido, A maioria das peças é suficientemente grande para tornar o quilt rápido de montar. E por não requerer pontos complexos pode ser feito fácilmente por quem não tem máquina de costura.

Parece-me ter ouvido um eco tipo “está doida! Coser à mão?!”. Pois é, eu sou acérrima defensora dos quilts cosidos à mão. Não por extremismo ou por puritanismo, mas porque é uma alternativa mais do que viável para quem só dispõe de pequenos momentos para dedicar à costura. Passo a explicar: para quem tem um espaço de costura, onde tem a máquina montada e onde pode deixar tudo desarrumadinho e fechar a porta quando tiver de parar, isto não se aplica e se calhar é mesmo mais rápido sentar à máquina e coser.

Mas para quem não tem espaço de costura e tem de montar e desmontar a máquina, preparar o projeto, coser, arrumar tudo outra vez, coser à mão pode ser uma economia de tempo se só tiveres meia hora por dia, ou menos, ou se tiveres de interromper esse tempo várias vezes para ires, por exemplo, atender as crianças.

E como é que isto é facilitador? É porque podes ter um saquinho com as peças do quilt em que estás a trabalhar, uma tesoura, agulha e linha. Nada mais. E podes sentar-te comodamente no teu sofá a veres televisão, e enquanto estás no sofá vais dando uns pontinhos no teu quilt. E vais fazendo ao teu ritmo e podes trabalhar nele todos os dias, mesmo que seja só um bocadinho. Se o bicho te morder com muita força, podes também levar o teu pequeno saquinho para onde quer que vás e trabalhar por exemplo, no jardim enquanto as crianças correm e brincam! Resulta comigo!

Claro que se tiveres períodos de tempo em que podes estar dedicada a isto e estares à máquina de costura, podes sempre complementar e fazer umas partes à mão e outras à máquina. Se queres saber, não se vai notar no resultado final por isso…

Então? Vamos fazer um quilt? Carrega no botão para saberes como!

Como fazer um quilt

 

Como fazer uma mochila #2

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Mais uma mochila. Quanto mais faço mais simples se tornam de fazer! O macaco foi a pedido da Bia, e as cores são da minha responsabilidade, mas quase com garantia de sucesso, já que tem verde e laranja, as cores preferidas da mãe!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Nesta mochila optei por usar uma ganga azul escura, um estampado de bolas e uma bombazine branca.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Usei o meu próprio vivo de pijama e adorei o resultado. Faz um realce mesmo bonito e por ser no mesmo estampado não acrescenta informação a mais à mochila mas destaca-lhe a forma. Nem sempre gosto de trabalhar com estampados tão intensos, principalmente quando o projecto envolve outras partes sobrepostas e outros elementos a conjugar, porque se torna difícil achar o ponto em que a informação visual é a necessária e suficiente, sem pecar nem por excesso, nem por falha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O tecido do forro é o mesmo que o do bolso exterior, e tem um pequeno bolso interior.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O fecho é de plástico fundico na tela. Tem os dentes largos e é de fácil deslizar, como convém para ser facilmente usado pelas crianças.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A aplicação do Macaco é feita no bolso exterior, que abre e fecha com velcro. É feita em feltro porque não achei nenhum tecido que resultasse melhor em pelo de macaco. As orelhas só estão cosidas junto à cabeça para dar algum relevo e as narinas são feitas de dois pequenos botões de fimo feitos por mim. Os olhos são móveis e dão-lhe um ar super simpático!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Tinha de por mais um dos meus botões! Só para o charme!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O saco para a muda da roupa é feito no mesmo tecido estampado da mochila e tem na boca uma aplicação de viés castanho, só para fazer o conjunto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Está tudo pronto! Desejo um bom ano escolar à Bia e a todos os meninos e meninas, em particular os que este ano vão para uma escola nova!

E tu? Queres ver nascer uma mochila das tuas mãos? Tens aqui o meu modelo desta mochila e todos os passos, foto a foto para te ajudar a trazer ao mundo a tua mochila!

VER MODELO